terça-feira, 22 de junho de 2010

Infarto agudo do Miocárdio

Conceito

É um processo pelo qual o tecido miocárdico é destruído em regiões do coração privadas de suprimento sanguíneo, após o fechamento da artéria coronariana ou de um de seus ramos por um trombo, ou obstrução da luz do vaso por aterosclerose (obstrução dos vasos principalmente das artérias).

Causas

- Doença aterosclerótica do coração (acúmulo de gorduras que engrossa as paredes das artérias);

- Embolia da artéria coronária

- coágulo;

- Diminuição do fluxo sangüíneo coronariano com choque e hemorragia;

- Hiper tensão arterial = aumento da pressão;

Sintomatologia

- Dor torácica, retroesternal e epigástrica, que não é aliviada pelo repouso e vasodilatadores, é uma dor opressiva, súbita, podendo aumentar de intensidade até se tornar insuportável irradiar-se para ombros e para os braços, geralmente para o braço esquerdo ( tipo garra);
- Sudorese intensa, pegajosa;

- Náuseas e vômitos;

- Hipotensão ou hipertensão;

- Palidez;

- Dispnéia ou Taquipnéia;

- Ansiedade e inquietação;

- Taquicardia e bradicardia;

Obs.: Alguns pacientes com infarto agudo do miocárdio podem não apresentar sintomatologia clínica, sendo diagnosticado somente através de E.C.G. . Estes pacientes são denominados coronarianos silenciosos ou seja não apresentam sintomatologia.

Diagnóstico

- História clínica;

- Quadro clínico;

- E.C.G.;

- Exames laboratoriais;

Complicações:

- Choque cardiogênico;

- Arritmias cardíacas (anormal);

- Parada cardíaca (geralmente nas 48 horas);

- Trombose (coágulos);

- Embolia (coágulos) de consistência menos;

- Insuficiência carocíaca congestiva - principalmente através de doença de chagas;

- Rotura do coração

- Aneurisma ventricular = coágulos nos ventrículos, dificulta a passagem.

Tratamento

- Repouso absoluto no leito;

- Oxigenoterapia (aumentar a oferta de oxigênio ao miocárdio);

- Administrar morfina EU (abolir a dor e reduz a pressão arterial, freqüência cardiáca e respiratória);

- Sedativos (valium, diepax);

- Evitar stress do paciente;

- Vasodilatadores (isordil) para aumentar a circulação no miocárdio;

- Antiarrítmicos

- se houver arritmias; - E.C.G.;

- Posicionamento (cabeça elevada)

- o débito cardíaco e o retorno venoso são reduzidos, diminuindo assim o trabalho do coração;

Cuidados de Enfermagem:

- Repouso absoluto no leito evitando movimentos bruscos;

- Oxigenioterapia (Constante, umidificado)

- Verificar sinais vitais de 2 em 2 horas (observando alterações nos mesmos, arritmias ou choque cardiogênico);

- Controle hídrico rigoroso (evitar sobrecarga cardíaca);

- Prestar cuidados de higiene no leito;
- Administrar medicamentos prescritos;

- Manter ambiente tranqüilo;
- Orientar os familiares a evitarem conversas excessivas e assuntos desagradáveis;

- Oferecer dieta leve, hipossódica e hipolipédica;

- Orientar o paciente para a alta;

- Evitar alimentos ricos em carboidratos e gorduras, bebidas alcoólicas, fumo e café;

- Repouso relativo: nas 1º 8 -12 semanas, retomando gradativamente à vida normal;

- Manter a tranqüilidade emocional, equilíbrio entre sono, repouso e atividades física evitando excessos;

- Procurar o hospital se ocorrerem sintomas de recidiva;

Medidas Preventivas

· Exercício físico;
· Não fumar;
· Evitar obesidade;
· Evitar dietas ricas em calorias, gorduras, colesterol, carboidratos e sal;
· Fazer exames laboratoriais, lipídeos sangüíneos elevados, detectar diabetes mellitus;
· Tratar hipertensão;

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário